Translate

quinta-feira, 15 de março de 2012

Gripe…a rainha dos meses frios !


Gripe…a rainha dos meses frios

Dores de garganta, dores de cabeça, dores musculares e febre elevada são sintomas reveladores do vírus Influenza

Portugal apresenta valores de gripe bastante altos no início de 2012, sendo este o líder da actividade gripal em toda a Europa. A gripe é uma doença que atinge cerca de 138 pessoas em cada cem mil, como revela o último relatório do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC). “Durante as epidemias de gripe, cerca de 5 a 15% da população é afectada por infecções respiratórias”, como afirma a coordenadora cientifica do site gripenet.pt, Gabriela Gomes.
A gripe está associada ao frio, sendo este a principal causa desencadeadora da doença, que atinge na maioria crianças e idosos. No último caso, em particular, porque os mais velhos não têm dinheiro para medicamentos nem para manter as suas casas quentes durante os meses frios do ano. Para além de um problema sério de saúde pública, a gripe também é responsável pelas faltas à escola e ao trabalho, causando uma perturbação ao nível social e económico.
No Hospital Garcia da Orta, em Almada, na semana de 26 de Fevereiro a 3 de Março de 2012, o número de doentes diários a dirigir-se à urgência era de 300, e numa época normal, sem o factor gripe, as urgências apenas recebem cerca de 250. O que o hospital conclui que todos os dias há 50 novos casos de gripe, como revelou o site do Correio da Manhã.
O vírus Influenza e os seus sintomas
A gripe é uma infecção respiratória aguda de curta duração, no entanto é contagiosa. Esta é causada pelo vírus Influenza, que ao entrar no nosso corpo pelo nariz, olhos ou boca, tem a capacidade de infectar todo o tracto respiratório (nariz, seios nasais, garganta e pulmões). Os primeiros sintomas da doença surgem entre 1 a 4 dias, após a infecção pelo vírus Influenza e a esse período é dado o nome de período de incubação, onde a sua severidade varia de acordo com o tipo de pessoa infectada (criança, adulto, idoso). Esta doença pode afectar qualquer pessoa, contudo há pessoas mais vulneráveis que outras e por isso, há pessoas que apresentam sintomas mais preocupantes que outras.
O vírus Influenza pertence à família “Orthomyxoviridae”, que vem do grego Orthos – posicionado na vertical e Myxo – muco. Este vírus trata-se de uma partícula esférica e de um núcleo central. A sua superfície é coberta por proteínas que têm funções essenciais ao vírus: a hemaglutinina, que é responsável pela entrada do vírus nas nossas células, a neuraminidase,
Febre Elevada
que permite a libertação de mais vírus que irão procurar novas células. O seu núcleo contém ácido ribonucleico (RNA) que codifica a hemaglutinina e a neuraminidase. A família Influenza é composta por três tipos de vírus – A, B e C. Os únicos vírus que podem c ausar doença com um impacto significativo na saúde humana são o A e o B, sendo estes os principais causadores das epidemias. Mais propriamente,  o A é o vírus das aves que se adapta esporadicamente à raça humana, podendo causar pandemias; os vírus B e C infectam sobretudo humanos, sendo o B responsável por surtos localizados e o C responsável por gripes ligeiras.
Nem todas as pessoas afectadas pelo vírus da gripe ficam doentes, mas nas pessoas que isso acontece podem revelar certos sintomas como: febre, arrepios, dores de cabeça, tosse seca, dor muscular, garganta inflamada, congestão nasal e nariz entupido. Quando esta doença se verifica nas crianças, elas podem também revelar náuseas, vómitos e diarreia. A gripe  normalmente diagnosticada com base em sintomas, e a esse processo dá-se o nome de síndrome gripal. Geralmente as gripes sem complicações resolvem-se ao fim de cinco dias.

A Gripe é contagiosa, no entanto há maneira de preveni-la
O vírus Influenza é muito fácil de transmitir de pessoa para pessoa. Basta os nossos olhos, a nossa boca ou o nosso nariz estarem expostos a gotículas respiratórias de pessoas infectadas, gotículas essas que provêm de espirros ou tosse, ou então de uma simples respiração, mas para isso é necessário estarmos mais de uma hora a cerca de um metro de distância dessa pessoa. Quando essas gotículas estão dentro do organismo de pessoas não imunizadas, o vírus destrói a membrana mucosa do tracto respiratório e infecta as células, o que pode demorar um a quatro dias até aos sintomas se manifestarem.
Uma pessoa infectada pode transmitir o vírus um dia antes e até sete dias depois de aparecerem os seus primeiros sintomas.
Vacina contra a gripe
O principal método de prevenção da gripe é a vacinação que deve ser repetida todos os  anos, especialmente por aqueles grupos de maior risco (crianças, idosos e doentes
crónicos). Esta oferece uma protecção entre 30 a 90%, e evita o aparecimento
dos sintomas em 70% dos casos. E quando não previne totalmente, a vacina acaba por  reduzir a gravidade dos sintomas.
Esta vacina é diferente todos os anos, e é feita com base nas estripes do ano anterior,  contudo como o vírus está sempre a mudar, todos os anos é preciso criar uma vacina  nova. O processo de fabrico é bastante demorado e não se consegue fazer em grande  número, por isso dá-se sempre prioridade aos grupos de risco.
Na maioria dos casos não é perigosa e tem tratamento
Na maior parte das vezes, a gripe dura apenas uns dias, o que leva a ser necessário apenas medicamentos para o alívio de alguns sintomas, principalmente da febre, dor e congestão nasal, requerendo sempre ao doente repouso, boa alimentação e a ingestão de muitos líquidos. No entanto os tratamentos devem ser indicados por profissionais de saúde, porque de pessoa para pessoa os sintomas variam. Caso não haja complicações, não devem ser administrados antibióticos, pois estes só combatem bactérias e não vírus.Existem já os anti-virais, todavia não devem substituir a vacinação. Estes apenas ajudam a acalmar a infecção e por vezes a evitar que ela se desenvolva, quando tomado logo no primeiro ou segundo dia.
Os primeiros anti-virais a aparecer no mercado foram a amantadina e a rimantadina, mas apenas actuavam eficazmente contra o vírus Influenza tipo A. Só mais tarde chegaram ao mercado os inibidores de neuraminidase – zanamivir e o oseltamivir que combatiam para além do vírus A, o B e o C.
As gripes não são todas iguais
Há vários tipos de gripe. Contudo há três mais conhecidos: a Gripe Humana, a Gripe das Aves e a Gripe Suína.
A Gripe Humana é toda aquela que já foi falada, que é causada pelo vírus Influenza.
A Gripe das Aves é um vírus, que tal como o nome indica, afecta sobretudo as aves, sendo estas o principal reservatório na Natureza. A sua maioria não é patogénica no Homem, no entanto, devido a mutações que ocorrem (nas cadeias de hemaglutinina e/o neuraminidase) esporadicamente, estes vírus poderão adquirir um potencial infeccioso para os homens. O subtipo H5N1 tem sido responsável pela morte de centenas pessoas e à medida que se vai espalhando no mundo, a sua diversidade, por mutação, aumenta. Na maioria dos casos, a transmissão ocorre entre espécies (animal-pessoa), estando em aberto a possibilidade de uma pandemia caso o vírus adquira a capacidade de transmissão pessoa-a-pessoa.
A gripe suína, afecta, tal como o nome indica principalmente os suínos, podendo ocorrer casos de transmissão para humanos. Em 2009, por alterações genéticas, surgiu uma nova estirpe da gripe suína, a gripe AH1N1, que contém segmentos de genes da gripe suína, gripe das aves e gripe humana, adquirindo assim um potencial de transmissão de pessoa para pessoa, aumentando o risco de ocorrer uma pandemia. Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal, acrescendo em alguns casos de sintomas Gastrointestinais, como diarreias e vómitos. As formas de contágio também são semelhantes às da gripe sazonal, havendo formas simples mas eficazes
de o prevenir, como lavar as mãos. Há um tratamento eficaz, que é o osetalmivir (Tamiflu) e por enquanto há pouca resistência a este antivírico. Actualmente o vírus da gripe A é do tipo sazonal, e está em co-circulação com outros vírus Influenza.

Constipação vs. Gripe
Uma constipação não é uma gripe
Enquanto a gripe é causada pelo vírus Influenza as constipações são causadas por outro tipo de vírus, como é por exemplo o caso do rinovírus. A gripe é uma doença em que os sintomas respiratórios são acompanhados por febre superior a 38ºC, fortes dores de cabeça, dores musculares, cansaço, fraqueza. A constipação tem outro tipo de sintomas, como por exemplo, a congestão nasal, os espirros, a irritação da garganta, os olhos molhados, e é muito raro a pessoa que esteja constipada apresentar dores musculares, cansaço ou fraqueza.

Um artigo meu de jornalismos especializados sobre saúde! Desta vez foi a gripe, porque a maioria das pessoas diz que tem gripe sem saber o que é. Por isso aqui fica uma ajudinha.
É apenas uma trabalho de faculdade, mas gosto mesmo de fazer isto. É o que quero para a vida.

13 comentários:

  1. Estou neste momento com uma ligeira em cima -.-

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho andado assim. Mal curo uma constipação, já apanho outra....

    ResponderEliminar
  3. É tão bom quando sentimos que estamos no caminho certo e que fizemos as melhores escolhas para a nossa vida, não é? :)

    ResponderEliminar
  4. Boa sorte! :) e nao apanhes nenhuma!

    http://pegadafeminina.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Não fazia ideia de que Portugal, no ínicio de 2012, era o líder da actividade gripal em toda a Europa :o
    Gostei muito do artigo que escreveste e estás de parabéns! Beijinho grande minha querida.

    ResponderEliminar
  6. É verdade, pensamos que sabemos tudo sobre ela e agora..percebi que não!

    ResponderEliminar
  7. Estamos sempre a aprender...bom artigo!

    ResponderEliminar
  8. Este tempo é propicio a gripes e afins.

    ResponderEliminar
  9. É bom termos a oportunidade de fazermos o que gostamos :)

    ResponderEliminar
  10. Este ano não houve gripe, nem constipação que me pega-se e fiquei tão feliz por isso ! ( :

    *

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita! ;)